São João

São João é engraçado, tem balões, martelinhos mas… Não é o maior!
O maior é, sem dúvida alguma, o São Pedro. Se houvesse um Rocky baseado em Santos Populares, Santo António seria o Captain Ivan Drago, São João seria o Apollo Creed e, com toda a certeza, que o underdog, o Santo que subiria as escadas com um fato de treino duvidoso e no fim ganharia todos os combates seria o São Pedro.

Mas do São Pedro falarei mais tarde, agora vou-me cingir ao São João e aos seus prós e contras.

Este ano, tive oportunidade de celebrar o São João em Vila do Conde. Fugindo do principal local de celebração deste Santo Popular, o Porto. No Porto, este Santo, acarreta uma caminhada interminável de cariz mariano e uma incomportável dose de traulitadas de martelos. Em Vila do Conde, basicamente, é uma seca mas ao menos não coloca em perigo a saúde.

Martelinho

Este é o principal o adereço (contemporâneo) necessário para estar enquadrado dentro do espírito da festa.
Sem ele, somos olhados de canto, passam-nos o atestado de caretas e pessoas sem sentido de humor. É como levar uma camisa com padrão escocês para o baile branco, da Casa do Castelo no Algarve, durante o Verão. É algo que a etiqueta reprova. Se o próprio, foi decapitado e queimado vivo e é o patrono da festa, fará àqueles que apenas o seguem.

Como participar no São João e não usar o martelo e, respectivamente, não levar marteladas?

Simples, a receita é:

-Gaze q.b.
-Algodão
– Ketchup q.b.
– Sombra para os olhos

Misturar bem estes componentes, improvisar e, no fim, o resultado será mais ou menos este:
Receita Anti-Martelada

Se o resultado final for este, a receita resultou na perfeição. Com este aspecto toda e qualquer martelada será evitada, a não ser que estejamos na presença de uma criança caxineira, alimentada em excesso com farturas e churros, que lhe provoque uma hiperglicemia e consequentemente uma hiperactividade violenta, capaz de lhe fazer martelar o mais inocente e aleijado das pessoas.

Contras: É um pouco incómodo e no caso de sermos daqueles aventureiros que gostam de saltar fogueiras, convém lembrar que este material é bastante inflamável e, como tal, se calha de tropeçarmos e cairmos de tromba na fogueira o resultado pode ser catastrófico.

A favor:: Para além de prevenir as marteladas, a gase também absorve boa parte dos cheiros. Como todas as celebrações populares as ruas emanam um cheiro nauseabundo a sardinha grelhada, óleos, Rio Ave (no caso de Vila de Conde), urina de bêbados (caso do Porto).
Também previne salpicos de óleo quente enquanto esperamos que o senhor gorduroso, que serve as farturas, nos dê a nossa dose de açúcar responsável para aguentarmos tanta animação.

Por falar em farturas, que raio de roulottes são aquelas?

Roulotte

Será que a melhor maneira de chamar atenção das pessoas é desviar 3 quartos da electricidade de uma cidade pequena para alimentar aquela amálgama de luzes florescentes?
Não me parece! Como se vê no exemplo apresentado pela imagem, nos anos 50 as roullotes tinham pouca luz mas continuavam a ter pessoas?
Porque raio é preciso provocar um ataque epiléptico e um ataque de foto sensibilidade para se atrair clientes?

“Porra o cheiro a fritos não é suficiente, logo convém artilhar isto como um pirilampo gigante e mutante e fazer com que as pessoas se comecem a sentir tontas de tanta luz”

O dono desses estabelecimentos pensam assim. Só pode, não existe nenhuma outra explicação racional para explicar tamanhos gastos de energia inúteis.

E por falar em gastos inúteis…

Fogo de Artifcio

Que raio de fogo de artifício é aquele? Supostamente seria coordenado com música. Mas eles bem tentavam mas não me parece que João Pedro Pais seja fácil de coordenar. Primeiro porque o próprio autor carece de coordenação auditiva, segundo porque a música desse pequeno trovador não me parece minimamente épica para ser celebrada com pirotecnia colorida.

Andam pessoas a ficar sem bracinhos em fábricas, sem condições de trabalho, para depois verem o seu suor e membros espalhados pelo vento acompanhados ao som dessa enfadada música.
Não faz sentido gastar rios de dinheiro em foguetes.
Se fosse um belo espectáculo de pirotecnia, por exemplo – Aquamatrix – na Expo 98, fazia sentido. Agora meia dúzia de minutos carregados de foguetes que apenas variam na cor é algo que, se fosse um munícipe, de Vila do Conde me revoltaria. A decoração luminosa parecia saído da mente de um piquete da EDP, não tinha criatividade nenhuma, mas agora gastar dinheiro em cores de foguetinhos para explodir no céu, arre… Toca a tostar dinheiro dos contribuintes.

Mas nem tudo é mau… Um amigo ainda ficou mal disposto com 7 churros na barriga e estava a fazer uma cara, no mínimo, divertida. Nem tudo pode ser mau…

Acessórios de Verão 2007

Como o bom metrossexual que sou aqui ficam, aqueles que para mim, são os verdadeiros acessórios do Verão de 2007.
Depois de horas e horas a ver a FashionTV e comprar uma parafernália de revistas de moda, aqui fica um resumo daqueles que são mesmo obrigatórios:

Guarda Chuva

A maioria dos estilistas propõem guarda-chuvas sóbrios, poucos padrões e apenas uma linha básica para delinear as curvas do principal acessório deste verão.

Impermeável

A liberdade criativa que os estilistas cortaram no guarda-chuva vai ser compensada, com uma total liberdade de cores e padrões para as gabardinas do Verão 2007. Desde o amarelo vivo até o estampado florido da Agatha Ruiz de La Prada tudo vai ser permitido!

Soláro Caseiro, Gadjet Verão

E agora abandonando a moda e procurando o gadjet em voga nesta estação, nada melhor que o solário caseiro proposto pela Casa de Electrodomésticos Armindo. Se procura definir aquela linha de biquíni, se procura aquela cor capaz de provocar as paixões de Verão, este é o acessório a ter em conta. (cama e relógio em forma de sol, não incluídos).

O resultado da inquietude…

…deu-me para fazer um tunning (de mau gosto, talvez) à barra lateral, —> . Estava aborrecido. E pronto, é capaz de ter saído asneira.

Sonific

Apresento-vos o meu leitor. De nome pomposo, Sonific, este menino para além dos vos trazer música vai também sobrecarregar o carregamento do blog. Consequências.

Overload

Fica carregado, atafulhado mas a intenção foi boa! Vai-se arrastar com as rodas (cookies) muito, muito pesadas pelos vossos monitores. Roubar largura de banda, diminuir a vossa velocidade do download da pornografia habitual. Aumentar os vossos consumos, furtando espaço a mais pornografia, mas sempre com a melhor das intenções!

Meditação

Escolhi estes meninos, The Cinematic Orchestra, porque, modéstia à parte, são bons. E como este é um espaço de meditação, sagrado, sem nunca se falar em seios, cicciolinas e coisas do género.
Transmite uma certa tranquilidade e faz o balanço perfeito entre uma leitura escatológica e ouvir algo com qualidade. Convém sempre equilibrar os Chakras. Por isso compenso os posts com música de qualidade.

Meditação

Próximas Aquisições Para a Barra Lateral:

– Nossa Senhora de Fátima que brilha no escuro. (propriedades radioactivas)

– Pinheiro de Cheiro

– Fotos de pessoas desaparecidas. (dá sempre aquele ar de pessoa sensível, rapaz que chora com o bambi)

– SlideShow Fotográfico de pessoas giras e divertidas.

– Merchandising ( a longo prazo) – vai incluir objectos em origami, naperons, tupperwares e utensílios de jardim.

– Número de Telemóvel Falso – para incomodarem supostos inimigos com as vossas mensagens de ódio.

The Bridge

Documentário sobre os suicídios que ocorrem, frequentemente, naquela que é considerada uma das mais belas e enigmáticas pontes do mundo, a Golden Gate Bridge em São Francisco.
Para ver hoje e amanhã publicar a respectiva crítica no Rascunho.

Golden Gate Bridge

Cicciolina All Bran

Como começar bem o dia?

Breakfast

Ligar a televisão e ver a Cicciolina sentada no colo do Manuel Luís Goucha, com um seio, devidamente turbinado, praticamente a entrar-lhe por uma narina.

É daquelas coisas que revitaliza logo uma pessoa. O equivalente a 10 taças de cereais! Que nos faz abrir os olhos e exclamar –Este vai ser um belo dia!

Só a caixinha mágica, devidamente sintonizada na TVI, é capaz de nos provocar semelhante sorriso. O mais homossexual dos apresentadores da manhã com a maior zoófila equestre da Europa, encavalitada nele. (o uso recorrente de termos relativos a hipismo é explicado pelo visionamento de um filme com a respectiva actriz italiano e o seu belo amigo equestre)
Ah…. !!!!(inserir sorriso gigante aqui)

Estudar

Estudar I

Estava com saudades de estudar…
Estudar como deve ser, com gosto!

Ir com gosto a uma papelaria e comprar caderninhos, canetas e marcadores. De várias cores. Todas possíveis. Transformar apontamentos numa espécie de orgasmo visual, caleidoscópio de cores, proibido a epilépticos e parecido com um arco-íris com direito a um pote de ouro no final do caminho.
Fazer letra bonita, de primária, em todas as páginas do cadernos. Não apenas na primeira, como acontece quando a matéria nos aborrece.
Esta (matéria) merece letra bonita em todas as folhinhas, curvinhas bem desenhadas, bolinhas/pintinhas do iiiiii em formas de lágrima ou coração. -É parolo? É! É infantil? É. Mas o entusiasmo dá-nos essa liberdade. É uma liberdade perigosa aquela que nos faz desenhar corações nos iiiii., confesso.

Estudar II

A, B, C! Nesta matéria estou a começar do início. Talvez isso explique o entusiasmo.
Se fosse um estudo que precisasse de matéria de anos anteriores, talvez, o entusiasmo de perceber as coisas do início fosse menos acentuada. Mas não, aqui começo do zero. Só falta a bata do colégio, a lancheira e o André Gordo para andar à pancada. Tudo o resto parece igual. Não posso é passar por espelhos, passar a mão nos pêlos dos braços e verificar que nos bolsos já não tenho pão com marmelada. Senão sinto-me adulto outra vez.

Estudo III

Mas estudo sempre ao contrário, 180º na direcção oposta.
Enquanto o resto do mundo se perde com o estudo para exames nacionais, frequências e coisas de comuns mortais.
Cá ando eu a ler manuais de instruções, tutoriais e a fazer exercícios em bancos de jardim, rostos de velhotes e meninos a brincar à bola.
Mas tem a sua piada estar na sala de exame sozinho. É mais difícil copiar, é um facto, mas a responsabilidade é apenas nossa!