Sizo

Sizo

Das poucas bandas em que o gosto pela música surgiu seguindo o caminho inverso, em que o hype foi motivado, primeiro pelas actuações ao vivo e só depois pela audição do álbum. Normalmente chega-nos um mp3, enviado por uma pessoa ou outra, ou encalhamos no myspace porque uma música chamou a atenção ao tímpano. Neste caso foi mesmo a actuação deles na famosa Azenha do Sameiro, deve ter sido a primeira e a última vez, mas chegou para me conquistar. Se possuísse os cromossomas XX, talvez ponderasse tornar-me grouppie oficial, sinceramente.

Tudo isto a propósito do lançamento do seu primeiro vídeo. Que na minha modesta opinião, envergonha aí muita gentinha que possuindo mais meios não conseguiu, sequer fazer algo ao mesmo nível.

Radiohead-In Rainbows (Crítica)

In Rainbows Cover

“…Fará dele uma obra-prima ou apenas hype do momento, deixem-no a ele – tempo – o papel principal de servir de juiz.
Porque eu, como jurado, só alinho numa sentença. Aquela que a lei obriga a várias repetições, feitas por gosto e por vontade. E que se determine, por decreto, que os últimos versos, da última canção, Videotape, sejam apenas isso mesmo, uma letra, não um aviso, uma mensagem subliminar de quem escreve: «This is my way of saying goodbye/ Because i can’t do it face to face.»”

Fonte: 😉 Rascunho

O metro do Porto… I

….é engraçado.

Raio-X

Para além dos habituais seres adormecidos com resto de baba no canto de baba, surgiu uma nova classe:

O-metro-é-um-lugar-tão-bom-quanto-outro-pra-se-ver-radiografias

Consequências da sociedade, vidas apressadas, não permitem que tenhamos 1 minuto extra para vermos a dentição no recanto do nosso lar.