O Transexual Grávido ou o Raparigo Prenhe

Transexual Grávido

Thomas Beatie vive no estado norte-americano de Oregon e será, dentro de quatro meses, o primeiro transexual a dar à luz uma criança. Depois de uma tentativa falhada, e de médicos se terem negado a tratá-lo, Beatie conseguiu engravidar de uma menina. Na ficção, Arnold Schwarzenegger já o tinha conseguido em ”Júnior”. Na vida real é a primeira vez que acontece.

Fonte: Público

Já que a cegonha tinha uma visão de falcão para encontrar o sítio onde deixar a semente, Deus queira que a criança nasça com muitas dioptrias. Pitosga, Pisco dos olhos porque senão....

SKIP, finalmente…

Quando donas-de-casa deixam de aparecer com dúvidas existenciais sobre manchas e brancura…
Quando cenários deixam de ser um hipermercado, uma aldeia portuguesa ou entrevistas de rua…
Quando deixam de fazer testes, comparando detergente A com detergente B
Quando adereços deixam de ser tanques com água ou gajos famosos aos gritos histéricos exclamando “é o poder da brancura”…

Pode-se, finalmente, ter um anúncio decente.

Os Raconteurs ou Saboteurs (caso vejam isto na Austrália)

The Raconteurs I

The Raconteurs voltaram! Se a pedido dos fãs, da imprensa que lhes louvou o último álbum ou do espírito incansável do Jack White, o certo é estão de volta com o próximo álbum.
Consoler Of The Lonely chega sob todos os formatos a todas as lojas, físicas ou virtuais, dia 25 de Março e o single de apresentação e respectivo vídeo são para a canção Salute Your Solution.

Trivia:The Raconteurs foram forçados a adoptar o nome “The Saboteurs” para o mercado australiano ao descobrirem que uma banda de Queensland já usava o nome “Raconteurs”. A banda de Queensland recusou-se a abrir mão do nome pela quantia que lhes foi oferecida e tentou retirar um alto preço da gravadora da banda de Detroit. Um membro da banda de Queensland afirmou que desconhecia quem lhes estava a tentar retirar o nome e apenas pediu mais dinheiro para ver o que aconteceria.

Fonte: Wikipédia

The Raconteurs II

Posso adiantar que, pelo leak que circulou pela internet, o álbum está absolutamente fantástico, na minha opinião. Podem ser efeitos secundários da excessiva alegria causada por ovos de chocolate da Páscoa, mas não me quer parecer.

Ping Pong & Quaresma

Ping Pong I

Quero jogar Ping-Pong. Quero! Quero receber o compasso vestido como o mais afincado jogador de ténis de mesa do mundo.
O calção curto, coxa grossa e peluda, a raquete numa mão, a bola leve na outra e o “Ámen” na boca, a sair em forma de serviço com efeito, depois da entrada ao som do “Aleluia, Aleluia” por parte dos fieis paroquianos a quem é dado o privilégio de segurar no compasso.

Ping Pong II

Qual seria a reacção perante a vestimenta que fugisse ao habitual look “arranjandinho-e-lavado-porque-hoje-é-páscoa”? E se essa vestimenta fosse de tenista de mesa?
E se pedisse para me benzerem a mesa de ping pong em vez de me benzerem a casa?
Existem normas e directrizes, elaboradas pelo Vaticano, que impeçam a bênção de mesas de ping-pong?

Ping Pong III

Há tantas dúvidas e vontades que eu preciso ver satisfeitas e não existe chocolate ou amêndoas neste mundo capazes de substituir a curiosidade que me fica, quando não as vejo correspondidas!

Philip Jones Griffiths

Quote: “The ability to keep things in perspective is very important for a journalist. In a tense situation you need the ability to be there, yet somehow step aside; to keep a cool head and keep working without getting frustrated.”

Philip Jones I
Philip Jones Griffiths
VIETNAM. The battle for Saigon.

Philip Jones II
Philip Jones Griffiths
VIETNAM. South Vietnam. Phu Me.

Philip Jones III
Philip Jones Griffiths
VIETNAM. The battle for Saigon.

Philip’s iconic work on the Vietnam War, an unprecedented work, published in 1971 under the title ‘Vietnam Inc.’ is arguably the most articulate and compelling anti-war statement made by any photojournalist ever. Indeed it led Noam Chomsky to comment that: “If anybody in Washington had read that book, we wouldn’t have had these wars in Iraq or Afghanistan”.

Philip Jones IV
Philip Jones Griffiths
GB. Liverpool, School Outing.

Philip Jones V
Philip Jones Griffiths
USA. ATLANTA.

Philip Jones Griffiths 1936-2008

Metralhada de Portishead

Portishead- Third

Machine Gun é o single que vem vestido com vídeo. O primeiro vídeo de Third (novo álbum de Portishead).
A escolha, para quem já ouviu o álbum, parece-me que recai sobre a música mais extrema do álbum. Atira sobre os fãs, aqueles que esperaram 11 anos por um novo trabalho, uma salva de tiros, uma saraivada de batidas (balas?) a sair da canção(machine gun?),fazendo-os cair a eles e às suas esperanças de maneira rápida e fria. É que nem se escondem num single que fizesse a ponte entre o álbum passado e este. A continuação, a sequela esperada por muitos é interrompida à lei da bala.