A planta “fotossintéctica” que dura…

Factos interessantes sobre o dia 31 de Maio:

– Dia mundial de luta contra o tabaco ( eu sei, eu sei coloquei uma foto da menina a fumar)

– 2003 – Último vôo de um Concorde da Air France.

– 1930 – Clint Eastwood, actor, cineasta, produtor e compositor dos Estados Unidos da América

– 1965 – Brooke Shields, actriz norte-americana.

– 1976 – Colin Farrell, actor irlandês.

Factos verdadeiramente interessantes sobre o dia 31 de Maio:

Esta menina, a da foto, faz anos. E, pela segunda vez consecutiva, não vou poder saltar de dentro do bolo de aniversário, usando apenas uma tanga, para lhe dar os parabéns.
Tá mal, tá mal feito.

Parabéns Bibedum. Até a judiciária resolveu acender uma espécie de vela em tua homenagem. :p

Amy Winehouse e a Ode ao Deus Baco

Amy Winehouse e os seus talentos escondidos:

– capaz de agradar a deuses, neste caso Baco, sem ser preciso sacrificar nenhuma virgem num altar.

– fazer com que o Jorge Palma pareça sóbrio a seu lado.

– conseguir embebedar-se no recinto do Rock in Rio. (finos a 2€?)

Por tudo isto posso, fielmente, concluir que esta passagem da Amy Winehouse foi um sucesso, pelo menos em termos de vinicultura.

Cornell Capa 1918-2008

“…The idea that any photography can’t be personal is madness!… I see something; it goes through my eye, brain,heart,guts; i choose the subject. What could be more personal than that?

“One thing that Life and I agreed right from the start was that one war photographer was enough for my family; I was to be a photographer of peace.


USA. California. 1960. Senator John F. KENNEDY reaches his hands into a crowd while campaigning for the presidency.


USA. Nevada. US actors Clark GABLE and Marilyn MONROE on the set of “The Misfits”. 1960.


USA. New York. Bronxville. 1959. Jack and Miriam in bed in Bronxville, watching Jack’s show.


A photograph by Cornell Capa of political dissidents arrested after the assassination of Anastasio Somoza in Nicaragua in 1956.

Todas as fotos são propriedade da agência Magnum

Violet, Viva, Vida.. V Stands for Coldplay

Vídeo que serve para apresentar o novo single, Violet Hill do seu próximo álbum Viva La Vida or Death And All His Friends.

Was a long and dark December
From the rooftops I remember
There was snow
White snow

Clearly I remember
From the windows they were watching
While we froze
Down below

When the future’s architectured
By a carnival of idiots on show
You’d better lie low

If you love me
Won’t you let me know?

Was a long and dark December
When the banks became cathedrals
And the fog
Became God

Priests clutched onto bibles
Hollowed out to fit their rifles
And the cross was held aloft

Bury me in honor
When I’m dead and hit the ground
A love back home unfolds

If you love me
Won’t you let me know?

I don’t want to be a soldier
Who the captain of some sinking ship
Would stow, far below

So if you love me
Why’d you let me go?

I took my love down to Violet Hill
There we sat in snow
All that time she was silent still

So if you love me
Won’t you let me know?

If you love me,
Won’t you let me know?

Acho que as formas de protesto dos Coldplay têm vindo a subir de tom, se antigamente o Chris Martin escrevinhava mensagens na mão e usava pulseirinhas coloridas, agora parece que a contestação e espírito de revolta se alastrou à banda toda.

O vídeo não passa de um gozo directo às pessoas nele retratado e a toda classe política em geral, que vê reflectida uma imagem de palhaços e bobos da corte de todos nós, utilizando apenas um fast forward. Acelerando as imagens de um político, toda aquela postura de poder é perdida em prol de um movimento à Benny Hill dando, nalguns casos, motivos a uma risada geral.

When the future’s architectured
By a carnival of idiots on show
You’d better lie low

Seria tão fácil fazer um vídeo destes em Portugal, das imagens do Jerónimo de Sousa a dançar passando por imagens do Valentim Loureiro em robe à porta de casa, de chernes a sacos azuis, de “é só fazer as contas” até presidentes da república entalados com bolo-rei, o arquivo seria basto e plenamente acessível, o que me deixa, de certa forma, assustado.